Acompanhe as novidades

Tenho silicone, quais cuidados devo ter ao amamentar?

Publicado em 16/01/2020 Tenho silicone, quais cuidados devo ter ao amamentar?

Para muitas mulheres fazer uma cirurgia plástica que transforma o formato das mamas é um sonho, a mamoplastia redutora é o desejo de várias mulheres que se sentem incômodas com o tamanho ou caimento que as mamas têm.

Além da vontade de tornar essa parte do corpo da forma que desejam, também entra outra preocupação: e se eu engravidar poderei amamentar? É melhor colocar o silicone após a gravidez? O silicone pode prejudicar o meu bebê de alguma forma?

O primeiro ponto importante é entendermos quais são as opções de incisões para colocar o silicone:

 

Incisão inframamária

A incisão inframamária é uma das preferidas para se colocar o silicone em gel, ela é realizada fazendo um corte abaixo da mama, o que proporciona um maior acesso para a dissecção precisa e colocação do implante mamário.

Por ser um corte que proporciona maior proximidade com a região onde é colocada o silicone, não é necessário a criação de túneis de acesso, além de que ao usar essa técnica será deslocado apenas o espaço necessário para a colocação do implante de silicone. O que impede o risco de as próteses deslocarem-se com a cicatrização ou com o tempo.

Esse tipo de corte não altera o tecido mamário, pois a mama é levantada para que o silicone possa ser colocado por baixo dela. O que não interfere no funcionamento das mamas e nem em uma futura amamentação.

 

• Incisão axilar

Essa técnica realiza um corte abaixo das axilas, o que é necessário a abertura de um túnel de acesso até a região mamária, ao qual ela é deslocada para a introdução dos silicones.

A maior vantagem dessa incisão é que ela permite a colocação dos implantes sem deixar cicatrizes visíveis nas mamas. E ela também não prejudica o funcionamento do tecido mamário.

 

• Incisão areolar

A incisão areolar ou periareolar é diferente das outras, pois nela o médico realiza um corte em formato de semicírculo em volta da aréola e interesse a prótese por essa abertura.

Ao realizar esse corte alguns dutos mamários podem ser cortados, essa incisão não prejudica a produção do leite, mas pode diminuir o fluxo de produção.

Depois de entender sobre os três tipos de incisões é importante a paciente conversar com o seu médico e escolher a incisão que melhor se adaptará ao seu corpo, formato desejado e tipo de silicone.

Mas o mais importante a se entender é que a o implante de silicone não impede a mulher de amamentar, mesmo que ela opte pela incisão areolar. O que pode acontecer, é que algumas mulheres não conseguem produzir leite materno e é algo natural do corpo.

 

Não estou produzindo leite, é culpa do silicone?

Não! Algumas mulheres possuem pouco tecido mamário, o que chamamos de mamas hipoplásicas, que é quando a mulher possui o volume dos seios significativamente reduzidos.

Um dos fatores mais comuns que podem acarretar isso é a genética ou emagrecimento, que podem afetar a aparência da pele, provocar irregularidade e flacidez.
Existem casos em que mulheres com hipoplasia mamária consigam produzir leite suficiente para alimentar o seu bebê, enquanto outras produzem menos e outras não produzem nenhum.

Mas mesmo nesses casos e as mulheres que optem pelo implante de silicone para aumentar as mamas, a cirurgia plástica não interfere na produção do leite materno. O que vai interferir nesse aspecto é se a mulher possui glândulas mamárias suficiente para a produção do leite.

 

Devo colocar o silicone antes ou depois da gravidez?

Essa é uma pergunta delicada e que a resposta cabe apenas a mulher, como falamos acima a mamoplastia de aumento não impede que a mulher produza leite durante a gravidez.

O que se deve levar em conta é: quando que a paciente deseja engravidar? Se for uma questão que já está sendo trabalhada o melhor a se fazer é esperar, mas se for algo que não ainda não está sendo tão desejado, por que adiar o desejo de ter as mamas da forma que deseja?

Essa é a principal questão que a mulher deve pensar: quando que eu desejo engravidar? Ás vezes esse é um sonho que está no futuro ou ainda nem tem planos, e o medo de que algo possa impedir que ela passe por todas as etapas da gestação a impede de realizar o desejo de fazer uma cirurgia plástica.

 

Quanto tempo após a gravidez posso colocar silicone?

Muitas mulheres após a gravidez desejam colocar silicone, sejam para realizar um sonho antigo ou para recuperar o aspecto das mamas após a perca de peso ganhado na gravidez, os seios podem ficar flácidos e mais caídos.

Nesses casos o implante de silicone pode ajudar elas a alcançarem a forma desejada, mas é importante que ela espere que a produção de leite tenha totalmente acabado.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que a mulheres amamentem até os seis meses de vida dos bebês e se possível até os dois anos.

Enquanto estiver no período de lactação não é recomendado realizar uma cirurgia plástica, assim, quando a produção de leite se interromper e a mulher retornar ao seu peso normal ela pode realizar uma cirurgia e colocar o implante de silicone que mais desejar.

 

Após a amamentação o silicone cai?

Após uma gravidez é normal as mamas das mulheres ficarem maiores mesmo que elas não produzam leite, e depois que ela volta ao peso normal a pele costuma ficar flácida devido a perca de peso.

Ao produzir leite as glândulas aumentam e a pele das mamas esticam, quando a produção acaba o leite seca e os seios ficam menos firme. Mas como fica as mulheres que já tinham silicone antes da gravidez?

Os implantes de silicone que são colocados atrás dos músculos costumam ceder menos do que os implantes colocados abaixo das glândulas mamárias, pois nesses casos é o corpo que sustenta o silicone.

Após o período de lactação muitas mulheres desejam realizar a troca do silicone e com isso é possível retirar parte da pele flácida ou colocar um implante maior. Nesses casos é o cirurgião plástico e a paciente que vão ver a melhor forma.

 

Outro medo recorrente das mulheres é se o silicone vai impedir que o seu bebê sugue o leite materno, mas o implante não impede em nada que esse vínculo entre mãe e bebê aconteça.

Apenas em casos em que a prótese é muito exagerada, que as regiões das glândulas mamárias ficam pressionadas e o implante pode prejudicar a produção e o fluxo do leite.

Mas o cirurgião plástico deve sempre levar em conta o aspecto físico da paciente para que a cirurgia plástica fique a mais harmônico possível e realize o sonho do corpo ideal que a aquela mulher tanto deseja.

Quer saber mais sobre como o silicone atua durante a gravidez? Marque uma consulta com o Dr. Petrônio Fleury e tire todas as suas dúvidas para ter o melhor resultado.

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades e mantenha-se informado.

Solicite uma ligação
e tire suas dúvidas
Fale com um de nossos atendentes ou, se preferir, nós ligamos para você.